O poder da inteligência coletiva no desenvolvimento de softwares

O conceito de Inteligência Coletiva pressupõe a participação de um grande grupo de pessoas com interesses diversos no interior de uma comunidade. A criação de softwares passa, em grande medida, pela capacidade dos desenvolvedores em reunir habilidades, conhecimentos, e primordialmente, valor para um negócio que possa atender a determinado público-alvo.

 Tal ideia pressupõe, no atual contexto de criação de aplicativos e desenvolvimento de softwares, a certeza de que o valor do conhecimento pode ser distribuído com muito mais competência e qualidade com a ajuda das tecnologias de informação e comunicação. Há um viés pedagógico na utilização da Inteligência Coletiva no desenvolvimento de projetos e plataformas tecnológicas: a troca de experiências entre desenvolvedores e colaboradores, sejam eles conhecedores de TI, Sistemas de Informação, Marketing e outras áreas, visando o desenvolvimento de plataformas digitais cada vez mais complexas.

 Há uma disposição dos indivíduos, em especial, dos profissionais que traballham com tecnologia, para a adoção de projetos colaborativos, que unam todos os conhecimentos adquiridos pelos integrantes de uma comunidade, visando um processo de intensa inovação e mudança, já que softwares, bem como diversos meios tecnológicos, passam por inúmeras transformações dentro de um curto espaço de tempo. Cabe, portanto, a esses profissionais, criar linhas de comunicação com outros grupos e tentar agrupá-los de acordo com as necessidades exigidas.

 Para além da troca de experiências e conhecimentos, há que se ter noção da estrutura de uma organização e do posicionamento dos seus integrantes. Se a estrutura é horizontal, seus colaboradores trabalham no mesmo nível e trocam experiências, sem a necessidade de se reportar a um superior, um chefe. Esta é uma característica própria do sistema vertical, hierárquico de organização, comum a estruturas antigas de empresas que se consolidaram há muito tempo e que não se transformaram com o passar dos anos.

 Outro fator importante é o conhecimento do tipo de público que se pretende atingir e o aprimoramento de ações que visem atender esta demanda, minimizando a margem de erros e de abordagens equivocadas. É preciso coletar informações a respeito do público-alvo, analisar suas preferências e criar planos que consigam engajá-lo e atraí-lo para a ideia formulada pelo desenvolvedor ou empresa.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel