Como conduzir sua startup sem um sócio-desenvolvedor

Você tem uma ideia incrível para uma startup, mas não possui o conhecimento necessário para transformá-la num software ou aplicativo – muito menos recursos para contratar um desenvolvedor.

Nessa hora, muitos empreendedores procuram um sócio-desenvolvedor, também conhecido como CTO (Chief Technology Officer). 

Apesar de muitas vezes essa ser uma opção viável, é importante entender que dividir a sua startup com alguém simplesmente porque você não tem conhecimento técnico para lidar com códigos pode não apenas ser arriscado, mas também sair caro no médio e longo prazo.

Para compreender melhor os prós e contras de não optar por um CTO, vamos descrever aqui qual é o papel desse sócio dentro da startup e quais são as alternativas se você é um empreendedor com uma ideia incrível, mas não sabe como tirá-la do papel.

O que faz um CTO?

O CTO é a pessoa que vai ficar responsável pela parte técnica da sua empresa. Ele irá basicamente “colocar a mão na massa” e desenvolver o seu produto, seja ele um aplicativo para smartphone, website, web app ou software offline.

Para muitas startups contratar uma equipe interna de programação é inviável econimicamente e, freelancers, apesar de serem mais baratos, possuem alto risco de retrabalho, abandono do projeto ou entrega com má qualidade.

Por isso muitas costumam chamar um sócio-desenvolvedor que, em troca de uma porcentagem dos lucros, se responsabiliza pelo desenvolvimento do produto em si.

Apesar de funcionar em muitos casos, dividir os seus lucros com um CTO não é a única opção.

Uma alternativa menos popular mas muito mais barata e segura é a contratação de uma empresa especializada. Além de ter mais garantias de que o produto vai sair da forma como você quer, a empresa pode oferecer expertise durante o processo a partir de um investimento mínimo.

Desenvolvendo seu aplicativo com uma empresa especializada

O primeiro ponto a favor da contratação de uma empresa especializada é o grau de comprometimento. Afinal, fazer sociedade com uma pessoa simplesmente porque ela irá desenvolver o “produto” de sua startup não significa que ela será comprometida com a empresa como um todo.

Com uma empresa especializada você pode contratá-la para criar o MVP e não trabalhar mais com ela a partir de um certo ponto ou até cancelar o projeto caso ele não atenda as suas expectativas.

Outro pró que pesa bastante é a rapidez. As boas empresas de desenvolvimento têm um time focado em prazos e resultados, deixando você livre para se concentrar em outras áreas do negócio em si.

A experiência do time também conta bastante. Durante o trabalho, se a comunicação for boa, você pode receber bons conselhos dos profissionais envolvidos no desenvolvimento do software.

Na X-Apps, por exemplo, o empreendedor recebe todo o apoio de uma equipe multidisciplinar não apenas no desenvolvimento do aplicativo, mas também na lapidação da ideia e validação do produto no mercado.

Desenvolvemos inclusive o software da Telios, startup que tem dois sócios que preferiram ficar dedicados ao negócio e contam conosco como parceiros para o desenvolvimento.

Como escolher uma empresa especializada

Encontrar uma empresa que “abrace” a sua ideia e desenvolva um aplicativo diferenciado definitivamente não é uma tarefa fácil. Mas, para facilitar o processo, separamos algumas dicas:

    • Procure saber sobre experiências prévias. Analise com cuidado o portfólio da empresa e, se possível, entre em contato com clientes anteriores para saber como foi o trabalho.

    • Cheque se quem vai lhe atender tem boas habilidades comunicativas. Você vai precisar conversar sempre com o representante para garantir que seu produto vai atingir as expectativas.

    • Garanta que a empresa entende o seu projeto e que vocês “falam a mesma língua”. Quando o serviço é realmente bom, são oferecidas referências que ajudam no desenvolvimento do seu negócio.

    • Se certifique que a empresa desenvolvedora saberá lidar com os aspectos burocráticos. Garanta também que o contrato estará em ordem e que você não vai perder nenhum direito sobre seu produto.

    • Verifique a possibilidade de integrações e transferências de tecnologias. Ao contrário da X-Apps, algumas empresas não costumam passar o código-fonte do aplicativo, o que torna impossível internalizar a equipe ou transferir o serviço de desenvolvimento no futuro.

  • Confira qual é a metodologia de trabalho da empresa desenvolvedora. Você pode precisar fechar um projeto com escopo aberto ou fechado na hora da contratação. Ambos possuem vantagens e desvantagens e, por isso, é importante saber os prós e contras de cada tipo antes de contratar.

Não existe uma fórmula mágica para escolher a empresa que irá desenvolver o software de sua startup. Mas, conferindo todos esses pontos, você tem melhores chances de escolher a companhia certa para colocar seu produto no mercado.

Evite escolher um sócio simplesmente porque ele sabe desenvolver um aplicativo porque, como diz a sabedoria popular, o barato muitas vezes pode sair caro.

Antes de qualquer decisão, solicite um orçamento com a X-Apps

Ao contrário do que muitos imaginam, desenvolver o software de sua startup nem sempre requer um alto investimento. Para saber mais, converse agora mesmo com um de nossos especialistas.

Com as suas informações, poderemos avaliar quais serão os custos envolvidos no projeto e assim lhe fornecer, com mais assertividade, um orçamento para transformar a sua ideia em realidade.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel