Escopo Fechado ou Aberto: Qual a melhor solução para desenvolver o app de sua startup

Desenvolver aplicativos leva tempo, consome dinheiro e necessita de equipes especializadas para cada etapa de produção. Tudo isso tem como único objetivo: A entrega de um excelente produto final no menor tempo possível.

E, para chegar até esse resultado, existem duas metodologias de gerenciamento de equipes: A que trabalha o escopo fechado (A forma mais tradicional de acompanhar um projeto, também conhecida como cascata) e a que trabalha o escopo aberto (Também conhecida como “metodologia ágil”, SCRUM ou cíclica, dividindo e revendo cada etapa de produção enquanto o aplicativo ainda está sendo desenvolvido).

Ambas as possibilidades são boas e têm o potencial de trazer os resultados esperados e, por isso, o ideal é sempre entrar em contato com uma empresa especializada para obter um auxílio mais personalizado.

Contudo, se você está em dúvida entre contratar um projeto de escopo aberto ou fechado para o desenvolvimento de seu aplicativo, as informações a seguir certamente serão úteis.

Escopo Aberto x Escopo Fechado: Vantagens e Desvantagens

Existe uma “régua” na literatura da Engenharia de Software utilizada para definir um escopo, e quais são as nuances mais próximas de cada um deles. Ela é mais ou menos assim:

Fechado – Priorizável – Negociável – Flexível – Aberto

Para entender melhor qual escopo escolher no desenvolvimento do aplicativo da sua startup basta tornar essa régua um espectro: Quanto mais flexível forem as datas de entrega e mudanças internas do projeto, melhor ele se adaptará ao escopo aberto. Do contrário, rume sempre para o lado mais próximo ao escopo fechado.

O escopo fechado é uma forma mais “tradicional” de tocar um planejamento, visto que, com ele, é possível ter uma previsão bem detalhada de prazos e custos, justamente porque mudanças de entrega são pouco aceitas – e o rigor com os prazos é sempre alto.

Com ele é mais fácil reduzir custos através das etapas de produção, pois a visão holística do projeto vai mostrar quantas pessoas serão necessárias na equipe, por quanto tempo, e onde é possível fazer uma ou outra economia durante o processo, alocando inclusive recursos que não precisam estar dedicados full time ao projeto.

A grande vantagem do escopo fechado é que ele é mais previsível, tendo uma data e um orçamento fixado para conclusão do projeto e um acompanhamento de perto de um gerente de projetos para controlar se o trabalho está evoluindo no ritmo correto.

Outra vantagem é que não exige tanta participação do cliente ou gerente de produto, se ele não tiver tempo para estar em cada fase de desenvolvimento do app, não tem problema: A equipe contratada entregará o produto no prazo, com os custos definidos, como combinado.

escopo aberto ou fechado

A parte não tão boa da história é que você pode detectar uma nova funcionalidade no meio do caminho, ou até mudar alguma no meio do caminho, isso pode resultar em um gargalo na etapa de lançamento do produto e impactará o cronograma já acordado.

Resumindo: No escopo fechado, o cliente já sabe tudo sobre seu custo e prazo, estando sujeito a (nenhuma ou) poucas surpresas. A desvantagem é que o produto final pode ficar defasado no lançamento ou demorar mais para evoluir – um tempo que as empresas ou startups não têm.

Já no escopo aberto não temos muita noção de custo e prazo total do projeto, uma vez que essa metodologia nos dá liberdade para atrasar ou adiantar processos, mudar prioridades, reagrupar e contratar mais times… e, se for necessário, até pivotar completamente a ideia inicial.

Como o escopo aberto é baseado na ideia do time ágil, você não precisa contratar uma empresa por projeto, e sim por horas trabalhadas.

Isso te permite maior flexibilidade no desenvolvimento do produto.

O principal benefício do escopo aberto é a possibilidade de receber o produto “um pouquinho de cada vez”, acompanhando regularmente as entregas. Isso permite diversas alterações durante a confecção do aplicativo, além de fazer com que os feedbacks em cada fase sejam dados com mais agilidade, evitando, no fim das contas, a entrega de um produto defasado.

Isso porque na metodologia ágil são aceitas mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.

A desvantagem desse processo é ter o aplicativo sempre precisando da aprovação do cliente: se cada etapa não tiver interação, o projeto não passa para as mãos do time que o aguarda na sequência.

Se surgir alguma pendência externa no meio do caminho, como integrações com outros serviços, os times também ficam parados – e os custos aumentam em relação ao orçamento que era esperado no início, principalmente se o desenvolvimento demandar profissionais full time.

Como você pode ver, ambas as soluções funcionam e cada uma é melhor para uma situação específica.

Se é necessária uma maior liberdade, seja porque o que precisa ser feito ainda não está claro ou pode mudar com frequência, o escopo aberto pode ser uma boa ideia.

Agora se você precisa de uma maior previsibilidade e controle de custo e prazos, estude um pouco mais sobre o escopo fechado.

O que não pode acontecer é você tentar desenvolver seu aplicativo sem a utilização de uma metodologia. Afinal, qualquer metodologia é melhor do que metodologia nenhuma, principalmente quando falamos de algo que gasta dinheiro, tempo, energia e dedicação de tantas pessoas.

É importante escolher uma metodologia que faça mais sentido para seu projeto.

Quer saber mais sobre a melhor solução para o seu caso? Agende uma consultoria gratuita com um especialista da X-Apps.

Fechar Menu
Close Panel