Entenda o interpretador de códigos Node.js

O Node.js foi criado pelo pesquisador Ryan Dahl, no ano de 2009 ao decorrer de uma análise de páginas da web e a maneira como funcionavam.

Ryan, percebeu que as aplicações eram mal utilizadas e ineficientes o modo que usuários lidavam com os recursos da máquina, consumindo mais recursos de processamento que o necessário.

Em uma aplicação web tradicional, é comum a sobrecarga de requisições, o que muitas vezes gera o bloqueio por carregamentos de arquivos ou processamentos pesados e por isso, o pesquisador entendeu a necessidade de criar o Node.js.

O fato do Node ser single thread é um diferencial no desenvolvimento, são chamados fluxos de execução, o que simplifica o processo de demanda evitando a interrupção. 

Desenvolvida a partir da tecnologia V8 Engine e do Javascript, cujo o propósito é acelerar o desempenho de uma aplicação, o Node.js é portável pelas plataformas Windows, Mac e Linux, possibilitando a elaboração de diferentes aplicações Web e utilizando apenas um código em Javascript.

Portanto, as demandas que surgem por parte da internet e a forma que o código em JavaScript pode ser construído, proporciona inúmeras possibilidades de desenvolvimentos a serem feitos na Web, o que torna o Node.js uma plataforma colaborativa, ágil e possui as seguintes características:

  • Responde às requisições das aplicações 
  • Tecnologia gratuita e livre de licenças
  • Front-end e Back-end
  • Código aberto: possibilita uma comunidade ativa que contribui com o projeto
  • Programação JavaScript: linguagem popular da web
  • Performance: baixo consumo de memória e aproveitamento da CPU

Nos últimos 29 anos, com a corrida dos navegadores, conhecidos como “browsers”, a internet se tornou cada vez mais disputada, ampliando o campo da informação.

Por isso, Tim Berners-Lee criou o primeiro navegador, nomeado WorldWideWe, no ano de 1990 e além de cientista da computação, foi um dos precursores no uso do hipertexto, com intuito de compartilhar informações.

Consequentemente, com a expansão de informações era preciso um software que possibilitasse a busca por elas e então, surgem diferentes navegadores, o que era necessário, num mundo como esse, estar online é se informar. 

Cronologia

A cronologia tem como finalidade apresentar a história e os avanços da tecnologia desde a corrida dos browsers, para um melhor atendimento:

1993 –  O Mosaic é inserido como primeiro a rodar no Windows, permitindo o acesso da web para o público em geral.

1994 –  O Netscape trouxe características que um browser moderno oferece: abas, histórico de visitas, entre outros.

1995 –  O Explorer 1,0 a Microsoft chega ao mercado e em pouco tempo é atualizado.

1996 –  A Microsoft lança a versão 3.0 do Explorer e em 1997 a quarta versão do navegador é divulgada.

1998 – Com a liberação do código-fonte a Netscape cria o Mozilla

2000 – Com uma comunidade fiel, é desenvolvido o Opera, como navegador alternativo do Mozilla

2003 – A Apple anuncia seu navegador, o Safari, padrão de todo sistema operacional e permanece até os dias de hoje

2004 – O Firefox 1.0  surge como uma versão atualizada do Mozilla

2008 – A Google finalmente apresenta um projeto, sendo ele, rápido, seguro e estável, comparado aos concorrentes, uma promessa que iria poupar bloqueios.

Diante de inúmeros lançamentos da Google, o V8 é o interpretador (máquina virtual) Javascript Engine, uma linguagem utilizada no navegador Google Chrome e no Node.js, com o desempenho rápido e aperfeiçoado devido a corrida dos browsers; potencializando o processamento do back-end.

Por isso, implementar soluções inovadoras em todas as etapas do seu serviço é fundamental. Conte com a X-Apps para garantir o desenvolvimento seguro, ágil e eficaz para seu cliente. 

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel