Óculos de Realidade Virtual vão começar a substituir o smartphone

Em abril de 2017 o Facebook promoveu um conferência chamada F8 onde seu fundador, Mark Zuckerberg (Conhecido por ser grande entusiasta de novas tecnologias), declarou que os óculos de Realidade Virtual serão a próxima grande plataforma de computação. E, inclusive, que a sua empresa já está investindo nessa nova tecnologia.

Sim, os óculos, esse marco de séculos atrás, usado até alguns anos atrás unicamente para melhorar a visão ou ser acessório de estilo.

De uns tempos pra cá, os óculos de Realidade Virtual tem sido utilizados para jogos e aplicativos de realidade aumentada – inclusive virando memes na internet, como o da pessoa que acha que está realmente em uma montanha russa e reproduz movimentos exagerados, ou da que joga um jogo de terror em realidade virtual e leva um grande susto na vida real.

A novidade de Zuckerberg, contudo, vem com um toque a mais, pois especialistas afirmam que no ano de 2022 os óculos serão responsáveis por começar a substituir outro ícone tecnológico do qual não sabemos como viver sem nos dias de hoje: O smartphone.

Para pessoas como Michael Abrash, pesquisador-chefe da Oculus (Empresa pertencente ao Facebook, que desenvolve visores de realidade virtual), os óculos serão mais do que um ícone de diversão: Vão se tornar “o novo gadget indispensável na vida das pessoas”.

Isso vai acontecer porque, segundo o pesquisador, os óculos poderão, no futuro, oferecer mais do que realidade aumentada: Também dará ao usuário um bom acesso à realidade virtual, fazendo com que tudo o que é possível acessar, hoje, em um smartphone, seja fichinha para os óculos.

E, com a possibilidade de acessar e interagir com diversas telas diante de seus olhos, não há necessidade alguma de ter outra tela dentro do bolso.

facebook óculos de realidade virtual

Para ele, a previsão é de 20 a 30 anos para que as pessoas substituam, completamente, seus celulares por óculos.

O futuro já começou  

20 ou 30 anos parece muito tempo?

Vale lembrar que essa é a previsão da substituição total dos smartphones por óculos – o começo desse movimento está previsto para 2022.

Ou seja, é logo ali, praticamente na quinta-feira que vem.

As pesquisas para permitir que esse movimento seja real estão em estágio embrionário, mas a tecnologia capaz de trazer isso para o nosso dia a dia já existe.

Uma prova é o HoloLens, visor da Microsoft que sobrepõe a vista do usuário com imagens tridimensionais, e já é utilizado para várias finalidades. A ideia é que ele faça com que o usuário desempenhe tarefas que seriam possíveis apenas em um computador, celular ou tablet.

Como está em fase de desenvolvimento, a equipe da Microsoft ainda precisa se livrar dos obstáculos para fazer o visor chegar às mãos dos consumidores, como o campo de visão limitado e o tamanho e peso do hardware.

Mas a tecnologia está aí, é inegável, e só precisa ser lapidada para estar próxima à perfeição.

hololens da microsoft

Outro exemplo, esse bem mais conhecido por todos, é o Google Glass, que também versa sobre a realidade aumentada e só não emplacou de vez por questões de preço, limitações de desenvolvimento e dúvidas sobre segurança e privacidade que o gadget (não) proporciona.

Mas, ainda que não tenha vingado, é mais uma possibilidade de estudo para refinar o produto que Mark Zuckerberg quer colocar no mercado.

Oculus Rift no Brasil

A tecnologia de realidade aumentada já está no Brasil há algum tempo.

Recentemente, a X-Apps desenvolveu um aplicativo para realidade virtual no Oculus Rift e Google Cardboard com o objetivo de passar uma experiência em realidade virtual do IT Forum, encontro que reuniu, em abril de 2017, na Bahia, os maiores investidores em TI no Brasil.

O IT Forum é considerado o mais importante evento do setor na América Latina e promove discussões sobre as mudanças e transformações da área de tecnologia de informação.

Segundo seus organizadores, o tempo é de adaptação e entendimento rápido sobre as necessidades profissionais de TI.

Nada melhor do que ver, nos corredores de eventos como esse, tecnologias de ponta, como o Oculus Rift, para deixar claro que não tem como lutar contra o futuro: Ou você se adapta e cresce com ele ou ficará, sumariamente, para trás.

Com o aplicativo da X-Apps, os participantes vestiam o dispositivo e navegavam pelo ambiente do evento como se estivesse andando por ele, acessando palestras, reuniões de negócios, estandes, shows e até happy hours.

O produto foi a forma mais interativa de mostrar o IT Forum, pois trouxe uma experiência de 360 graus de toda a estrutura, que cabia no celular.

A tecnologia ainda é nova e bem incipiente, mas o óculos tem tudo para ser o grande gerenciador de conteúdo do futuro, criando experiências totalmente virtuais ou híbridas, quando o real e o virtual se misturam em um mesmo acesso.

E, se formos levar em consideração toda a audácia de Mark Zuckerberg para ajudar o mundo a desenvolver novas tecnologias (recentemente ele criou uma fundação com esse propósito), talvez não seja preciso esperar nem os 20 anos que os especialistas falam para ver essa realidade acontecendo – em todos os ambientes possíveis.

Quer saber mais sobre como a X-Apps desenvolveu o óculos de realidade virtual para o IT Forum ou apenas tirar suas duvidas sobre desenvolvimento de aplicativos? Deixe seu comentário e vamos continuar a conversa!

Fechar Menu
Close Panel