Aplicativos nativos ou híbridos: qual escolher para a sua startup?

O número de smartphones no Brasil chegou a 168 milhões em 2016. Se pensarmos que existem ainda outros dispositivos, como tablets e smartwatches, fica clara a necessidade de oferecer o seu serviço ou ao menos apresentar a sua startup por meio de um aplicativo mobile.

Contudo, na hora de desenvolver um aplicativo, uma dúvida comum entre os empreendedores é em relação aos aplicativos nativos ou híbridos.

“Afinal, qual é o melhor para a minha startup?”

 

Aplicativos nativos e híbridos: existe alguma diferença?

Um aplicativo nativo é aquele criado a partir de uma linguagem de programação específica para determinada plataforma, como Android ou iOS. Sua maior vantagem é que, por “falar a mesma língua” que o sistema operacional do aparelho, ele está muito mais próximos do hardware e por isso pode explorar com mais profundidade funcionalidades como sensores, câmeras, geoposicionamento etc.

Por essa maior facilidade de usar o hardware, os aplicativos nativos são geralmente mais usados para o desenvolvimento de games.

app nativo

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam – e empresas com segundas intenções -, os aplicativos nativos não possuem um maior desempenho do que os híbridos.

Isso poderia até ser verdade há alguns anos atrás, nos primórdios dos aplicativos híbridos. Hoje, com as tecnologias mais recentes, eles são tão rápidos quanto os aplicativos nativos.

Inclusive, em alguns casos os aplicativos híbridos podem ser até mais vantajosos do que os nativos. Isso porque como a linguagem é híbrida – ou seja, compatível com diversos sistemas operacionais -, eles também geram os aplicativos web (web apps), como é o caso do Slack, Trello e praticamente todas as redes sociais que existem hoje.

slack

Nos aplicativos híbridos a integração com as funcionalidades do dispositivo depende de um framework, que serve como intermediário. Por isso, existe uma segmentação no mercado entre os desenvolvedores de aplicativos híbridos e os desenvolvedores de aplicativos nativos.

Ambas as formas exigem conhecimentos específicos e, com todas as outras variáveis envolvidas, é incorreto afirmar que um deles é melhor do que o outro.

Assim como qualquer outro aspecto envolvendo tecnologia, a qualidade do aplicativo depende muito mais da qualidade dos desenvolvedores do que o formato de desenvolvimento em si.

Como escolher entre aplicativos híbridos e nativos?

Agora que já entendemos quais são as diferenças entre os aplicativos nativos e híbridos, podemos concluir que a escolha da tecnologia usada para o desenvolvimento do aplicativo em sua startup irá depender, basicamente, de suas funcionalidades.

Se o objetivo é desenvolver games ou aplicativos que exigem funcionalidades mais avançadas, que dependem muito do hardware do aparelho, o ideal é optar pelos aplicativos nativos.

Mas se este não for o caso, optar pelos aplicativos híbridos pode permitir uma reprodução do seu produto ou serviço em outras plataformas que vão além dos smartphones, como os já mencionados web apps.

Em relação ao preço, é muito difícil afirmar qual será mais caro ou barato levando em consideração somente a escolha entre nativo e híbrido.

Na dúvida, o ideal é entrar em contato com uma empresa especializada. Somente conhecendo melhor a sua empresa e os objetivos a serem alcançados com o aplicativo é possível sugerir, com segurança, qual a melhor opção para a sua startup.

Não apenas em questão de custos, mas também de qualidade e eficência estratégica. 

Se você ainda não sabe se deve optar pelos aplicativos nativos ou híbridos, não deixe de entrar em contato com a X-Apps. Somos especializados no desenvolvimento em ambas as tecnologias e podemos, através de uma equipe multidisciplinar, encontrar a melhor solução para a sua startup.

Fechar Menu
Close Panel