5 Tendências em TI para acompanhar em 2018

Em outubro de 2017, o simpósio Gartner/ITxpo deu o tom do que será a área de tecnologia da informação em 2018. As novidades são tantas que, quem piscar, corre o risco de ficar rapidamente desatualizado em sua área de atuação.

Para que você já fique sabendo, de antemão, o que o mercado de TI nos reserva a partir do ano que vem, separamos as tendências mais faladas durante o simpósio, que foi realizado nos Estados Unidos, o palco mundial das inovações tecnológicas.

5 Tendências de TI para 2018

Aperte os cintos e boa viagem pelos assuntos que vão começar a mudar a sua vida – e a de todo mundo – a partir do ano que vem.

1. Inteligência Artificial cada vez mais… inteligentes

A inteligência artificial é pauta tanto nas mesas de reunião quanto nos papos de bar, e vem em uma crescente que nem mesmo o futurista mais entusiasmado poderia imaginar há vinte anos atrás.

A partir do ano que vem veremos a IA voltada à autonomia e à tomada de decisões, diminuindo consideravelmente o espaço que existe entre humano e máquina. As técnicas dessa área estão evoluindo tão rapidamente que a maior parte dos processos e ferramentas utilizados em muitas indústrias, a partir de 2018, será baseada em inteligência artificial.

Se você quiser estudá-la de maneira mais aprofundada para não perder o bonde, fique de olho em áreas como Ciência de Dados, programação e até gestão de negócios, que precisarão se reinventar para tirar o melhor proveito possível do aprendizado constante das máquinas.

2. Internet das coisas como prioridade

Passamos boa parte do ano falando, aqui no blog, sobre a internet das coisas, principalmente nos wearables. Pois então: está na hora de rever todo esse conteúdo e se preparar para uma TI cada vez mais voltada às coisas conectadas.

Também baseada em IA, a internet das coisas vai começar a se inserir de maneira mais natural na nossa rotina a partir do ano que vem. Especialistas ao redor do mundo apostam que os carros autônomos, o suprassumo dessa área, estarão nas ruas e estradas até 2022. Cenários híbridos e testes contínuos de tecnologia das coisas também se tornarão mais presentes da vida de quem trabalha – e quem não trabalha – com TI daqui pra frente.

3. Experiências imersivas

A era da tecnologia é, também, a era das experiências significativas. Tudo o que possibilitar ao ser humano imergir, quase que completamente, em realidades alternativas vai ter seu lugar de destaque nas prateleiras de grandes novidades do futuro.

Se você ainda não se familiarizou completamente com termos como Realidade Virtual (RV) e Realidade Aumentada (RA), já vá se preparando para colocar mais um item de estudo no seu material sobre TI dos próximos anos: vem aí a Realidade Misturada, que funde RV e RA para melhorar ainda mais as experiências das pessoas com seus itens de interesse.

Será um enorme desafio para as empresas implementarem essa tendência em um cenário onde RA e RV ainda são incipientes, mas fica a promessa de sucesso estrondoso para quem conseguir utilizar a realidade misturada do jeito certo.

4. Blockchain

Por falar em promessa, tá aí uma que tem tudo para começar a virar realidade mundial a partir do ano que vem: blockchain, a tecnologia de descentralização como medida de segurança para dados, documentos e, claro, moedas virtuais, como a Bitcoin.

Em 2017 muitas empresas, incluindo instituições financeiras alternativas, superaram as expectativas ao trazer à tona os benefícios e as facilidades de uso do blockchain, que antes parecia ser algo voltado apenas para quem entendesse muito de programação.

Além disso, centenas de vendedores foram a público avisar que aceitam moedas virtuais como pagamento por seus produtos e serviços. A moeda Bitcoin, que não é regulamentada por nenhum governo, tem um dos câmbios mais desejados de quem pretende enriquecer com investimentos de risco: em 2017, 1 bitcoin foi o equivalente a 12 mil reais.

Como blockchain também é uma boa forma de enviar e receber documentos de forma segura e real, há a expectativa do que acontecerá, a partir de 2018, com lugares que se dedicam apenas a autenticar papéis, como os cartórios, por exemplo.

5. Gêmeos Digitais

A internet das coisas vai, realmente, causar ainda mais impactos na nossa sociedade a partir do ano que vem. Prova disso é a expectativa pela criação de gêmeos digitais, que são representações digitais de sistemas, instituições ou entidades que existem no mundo “real”.

Esse movimento serve para que as organizações possam coletar mais dados e evoluir a análise e o entendimento deles através de um cenário mais intuitivo, com menos margem de erro para as atividades que são feitas no ambiente físico das empresas.

Não se preocupe se você não tiver entendido essas tendências de TI para acompanhar em 2018: como são incipientes, há tempo de se atualizar bastante sobre elas antes que venham a gerar impacto real nos seus negócios e na sua carreira.

Só não demore muito, pois as coisas hoje acontecem com maior rapidez – e ficar para trás não é mais uma opção viável.

Fechar Menu
Close Panel