Como as startups do Vale do Silício usam a OKR para crescer

Por ser um polo de desenvolvimento de novos negócios baseado em inovação, seria de se estranhar se o Vale do Silício não tivesse um modelo personalizado de definição de metas: a OKR (Objectives and Key Results).

E ele não só tem como um de seus principais “usuários” é ninguém menos que o Google, que começou a utilizar a metodologia em 1999, ou seja, menos de um ano depois de a empresa ser aberta.

Se você não conhece, a OKR é uma metodologia de definição de metas muito utilizada por startups do Silicon Valley, e cuja implementação tem sido cada vez mais disseminada a negócios inovadores ao redor do mundo. Nela, o alinhamento das metas é feito de maneira dinâmica e revisto a cada trimestre.

Como funciona a metodologia OKR

Sabe aquela vez em que você decidiu que iria acordar mais cedo na manhã seguinte para comprar pão quentinho? Aí você tem um objetivo, que é acordar cedo, para atingir uma meta, que é ter seu pão quentinho.

Segundo os criadores da metodologia OKR, a única coisa que faltaria para que sua compra estivesse dentro do framework proposto por eles é a informação de quem mediria a meta. Isso seria possível se a estrutura para sua tarefa fosse:

Eu vou _______________ medido por _________________.

No mundo das startups, sua lista de “eu vou” tem que ser sempre seguida por alguém ou alguma coisa que vai validar a sua execução. Por isso a OKR se baseia no objetivo (o que se quer atingir) e o conjunto de resultados-chave, que vão mostrar se você está ou não perto de bater a sua meta.

Enquanto o objetivo é qualitativo e motivador, o key result, ou resultado-chave, é quantitativo e criterioso, incluindo metas que possam mostrar o progresso da trajetória.

Quem utiliza a metodologia OKR no Vale do Silício?

Bom, te contamos ali em cima que o Google é um dos principais beneficiados pela metodologia OKR. Saber quais são os objetivos, as metas e as métricas para cada passo dado foi o que permitiu a empresa a crescer de maneira sustentável nos últimos anos.

Quando implementou a OKR em seus primórdios, o Google tinha 40 pessoas. Hoje o quadro de funcionários da gigante de tecnologia ultrapassa os 60 mil – e eles continuam usando OKR, o que prova que a metodologia é boa para qualquer tamanho de empresa, inclusive startups que acabaram de nascer.

okr no vale do silício

O importante, claro, é saber quais são os objetivos e como a startup pretende alcançá-los em intervalos regulares de tempo. A definição de metas tem que estar sempre muito alinhada à realidade da empresa e a tudo o que ela ainda quer conquistar.

Mas esse é um texto sobre como a metodologia é utilizada no Vale do Silício, e não só no Google, certo?

Por isso, anote aí outros nomes da inovação que também usam a OKR para melhorar seu alcance de metas e atingir crescimentos sustentáveis de suas marcas: Twitter, LinkedIn, Dropbox, GoPro, Coursera e Eventbrite.

Já no Brasil as marcas que utilizam abertamente a OKR para melhorar seus índices são Nubank, Locaweb, ContaAzul, Moip e VivaReal.

Como a OKR pode ajudar sua startup

Ver empresas que prosperaram sob a metodologia OKR traz uma boa perspectiva de que isso pode, realmente, dar certo. Mas como implementar essa solução na sua startup, que ainda não é tão grande quanto as que citamos nesse texto?

O principal benefício da OKR para sua startup é centralizar objetivos e metas de forma que o planejamento de cada uma delas fique mais palpável – o que é extremamente difícil quando, além de ter que lidar com frameworks de equipe, você ainda precisa crescer o seu business model de maneira sustentável.

Por isso, a implementação da OKR pode deixar seu time mais focado e organizado ao buscar os principais objetivos da empresa.

Mais que isso: a OKR pode te ajudar a definir, de uma vez por todas, quais são as prioridades da sua startup. Assim, cada meta poderá ser medida por um indicador, o que torna mais fácil medir o passo a passo do crescimento real de um negócio inovador.

Inclusive se ele estiver fora do Vale do Silício.

Fechar Menu
Close Panel